Por Que Temos Diferentes Tipos De Gravite?

O gravite que usamos para escrever com lápis ou lapiseiras é um dos alótropos (um mesmo elemento químico que origina diferentes substâncias simples) do carbono, uma outra forma alotrópicas do carbono é o diamante. Os grafites são oriundos de minas de gravite e quando são fabricados é acrescido a sua fórmula argila. A argila e o grafite juntos originam o que usamos hoje dentro dos lápis e das lapiseiras.

Por causa dessa mistura com a argila é que o temos diferentes tipos de gravite, cada com um grau de dureza e uma tonalidade diferente. Lothar Faber, criador da Faber Castell, criou uma escala que define as graduações dos gravites: 6H, 5H, 4H, 3H, 2H, F, HB, B, 2B, 3B, 4B, 5B e 6B.

O H deriva da palavra em inglês Hard que significa duro em português. E o B vem da palavra Black, preto em português. Quanto mais H, mais forte ele será e quanto mais B, mais escuro. O F é derivado da palavra Fine, em português bom, ou seja, ele é um traço intermediário, fino e resistente.

Os lápis mais usados são os 2B, B e HB por serem mais macios e ainda serem bem escuros, possibilitando a leitura. Os outros tipos de lápis são indicados para desenhistas e ilustradores que trabalham com precisão e sombreamento.

Você Sabia?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *